Arquivo da categoria: Divisões de Base

Eliminação preocupante

Apesar da eliminação, esse foi o nosso melhor jogo (…) Nossa atuação, de uma forma geral, foi positiva. Os meninos foram comprometidos e obedientes taticamente. Nosso time esteve mais leve, mais solto.” – Rodney Gonçalves

Quem assistiu ontem ao empate entre Vasco e América-MG, cuja decisão nos pênaltis resultou na nossa eliminação na Copa São Paulo de Juniores, tem motivos para concordar e também para se preocupar com a declaração do treinador da molecada.

A partida de ontem realmente deve ter sido a melhor do time. Isso, obviamente, não quer dizer que a garotada tenha ido bem: tivemos dificuldades terríveis na primeira fase, contra adversários menos qualificados que o Coelho e ontem, pelo menos, fizemos um jogo parelho com o América.

Mas depois disso, tudo o que disse o treinador é pra lá de preocupante.

Um técnico não pode achar “positiva” uma atuação na qual seus comandados passaram os 90 minutos dependendo de bolas esticadas e da correria dos garotos da frente. Assim como não pode ser positiva uma partida na qual praticamente não se viu articulações de jogadas. Ou o monte de passes errados, em muitos casos, não justificados pela falta de entrosamento.

E exaltar uma “obediência tática” é o pior de tudo. Porque nos faz acreditar – e temer – que se amontoar na defesa e dar chutões para frente esperando que os moleques se matem de correr para pegar a bola seja, para o treinador dos juniores do Vasco, uma “tática”.

Acreditar que poderíamos ir adiante na competição faz parte e, pela partida de ontem, poderíamos mesmo. O América-MG foi melhor, mas não chegou a nos ameaçar muito e, no fim das contas, tivemos mais chances que o adversário. Mas nada disso significa que o Vasco tenha jogado bem.

Tá certo que precisamos levar em consideração a reformulação do grupo e a quantidade de garotos que subiram para os profissionais e o monte de meninos que tiveram que subir de categoria por causa disso. Mas pelo que apresentamos em toda a Copinha, estamos longe de ter uma equipe de juniores com um padrão de jogo competitivo.

***

Mas alguns garotos até que mostraram qualidade e isso até compensa um pouco a participação do Vasco na competição. Hugo Borges, Robinho, Douglas Luiz e Matheus Peixe podem ser bastante úteis no futuro.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG. E os usuários do Gmail também podem incluir a página do blog no Google Plus.

21 Comentários

Arquivado em Divisões de Base, Resenhas, Vídeos

A pauta do dia

Chamar o post de hoje de “pauta do dia” é até contrassenso, já que os assuntos que abordarei nem são tão recentes assim. Mas como não falei – ou pelo menos não falei tudo – sobre eles, valem breves comentários.

Copinha – depois de dois empates contra equipes sem qualquer tradição, o Vasco venceu o Nacional-SP e, mesmo à duras penas, se classificou para a segunda fase como primeiro do grupo. Na minha opinião, já está bom evitar o vexame de ser eliminado logo na fase de grupos. O que vier daqui pra frente é lucro. Se algo virá daqui pra frente – já que pegaremos o América-MG, uma equipe mais forte que as enfrentamos até agora e que, mesmo na segunda colocação em um grupo mais forte que o nosso fez mais pontos que nós – é outra coisa.

Marcelo Mattos – a contratação do volante valeu uma enorme discussão entre vascaínos no Twitter. Na minha opinião, com o elenco que temos, a única posição na qual não precisamos de reforços é a de goleiro titular. No restante, não dá pra reclamar se forem feitas contratações. Mas há duas questões nesse caso: a primeira é a prioridade. Com os atacantes que temos, me parece despropositado ser um volante o primeiro reforço do ano. Até precisamos de volantes, mas basta ver as opções que temos para o ataque para ver que a maior necessidade do time não era essa.

A segunda questão é a qualidade do reforço. A vinda de Mattos é apenas mais uma entre dezenas de contratações iguais feitas pela atual diretoria: um veterano em baixa que já atuou em um dos rivais do Rio. Com 31 anos, uma dispensa do Botafogo no ano em que o Alvinegro caiu e amargando um longo período no banco do Vitória (que, vale lembrar, estava na Série B), qual é a chance do Marcelo Mattos ser efetivamente um reforço? Será que ele trará tão mais qualidade ao setor que o Diguinho? Se não vai, por que contratá-lo?

Bastaria uma olhada na internet para se encontrar uma penca de outros volantes mais novos e com salários menores que tiveram algum destaque na Série B ano passado. Qualquer um desses seria uma aposta com muito mais chances de dar certo que o Mattos. Mas é aquilo: cachorro velho não aprende truques novos. Essa diretoria sempre contratou dessa forma e não seria agora que faria diferente.

Novo gerente de marketing – falei muito brevemente sobre isso num post há alguns dias e pelo que falei, pode se pensar que minha única restrição ao Sr. Marcus Duarte seja sua mulambice exacerbada. Não é.

Os que defenderam a contratação do profissional argumentam que Duarte é competente e que é especialista em programas de sócio-torcedor. É um ótimo argumento e qualquer profissional decente faria bem o seu trabalho independentemente de estar atuando em um rival.

Mas aí é que eu pergunto: com as características do plano de sócios que foram apresentadas no Conselho Deliberativo, conseguirá o Sr. Duarte fazer o programa decolar? Ou isso não será necessário, já que o mais importante na contratação é ter um gerente de marketing mais alinhado com a diretoria que com resultados para o clube? Vale lembrar que Duarte já ocupou o mesmo cargo na primeira gestão da atual diretoria e estava à frente do cargo quando o Vasco assinou o vergonhoso patrocínio com a lojinha de esfias (para quem não lembra, alguns detalhes do contrato extremamente prejudicial ao clube estão aqui).

Me digam agora se um profissional realmente competente não veria que o contrato com a birosca de comida árabe seria terrível para o Vasco. Das duas uma: se ele não viu, sua competência já pode ser posta em cheque; se viu e não evitou que ele fosse assinado daquele jeito, sua competência não fará a menor diferença, já que quem manda de fato não é o gerente de marketing.

É isso, e não o fato dele ser mulambo, que mais me incomoda na sua contratação. A impossibilidade de se encontrar algum outro profissional tão competente quanto entre milhões de vascaínos nem é tão grave assim.

Profut – mas nem tudo são notícias ruins: a entrada do Vasco no Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro  é uma rara boa novidade nesse começo de ano.

Tentar – usando o termo tão adorado pelos casaquistas – equacionar as dívidas do clube é talvez o único ponto positivo da atual diretoria. Seria ótimo se os gestores do clube conseguissem fazer um trabalho ao menos um pouco parecido na administração do futebol do clube. Renegociar dívidas e deixar o futebol – a maior fonte geradora de renda da instituição – caindo pelas tabelas é o mesmo que enxugar gelo.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG. E os usuários do Gmail também podem incluir a página do blog no Google Plus.

14 Comentários

Arquivado em Adversários, Divisões de Base, Notícias, Patrocínios, Reforços

Empate na estreia

Como não vi a estreia do Vasco na Copa São Paulo de Juniores, apenas os parcos melhores momentos editados pelo site oficial do clube, pouco posso falar sobre o empate em 1 a 1 com o desconhecido Guaiacurus, do Mato Grosso do Sul.

Chama a atenção nos pouco mais de três minutos de vídeo a bonita jogada do gol vascaíno (com um cruzamento certo e um centroavante marcando gol como centroavante), os vacilos que nossa defesa deu (principalmente no lance do go de empate) e os gols perdidos, dignos do ataque da equipe profissional do Vasco de 2015.

Rodney Gonçalves, o técnico da molecada, justificou o resultado: chances desperdiçadas, time muito reformulado e muitos garotos recém-chegados ao sub-20. Tudo correto e aceitável. Mesmo que o velho Rodney de guerra – que já foi treinador dos juniores na primeira passagem da atual diretoria – não tenha jamais conquistado qualquer título na categoria, o fato é que o Vasco há muito não dá lá muita importância para a Copinha. Há anos enviamos garotos bem abaixo da idade limite para a disputa e com uma competição que começa nos primeiros dias do ano, é difícil haver um bom entrosamento.

Além disso, parece que todos os outros concorrentes vão muito mais focados: os clubes grandes que dão importância ao título e os clubes menores, cujos jogadores sabem que essa é uma das poucas chances que terão de aparecer para o mercado nacional da bola.

Nem acho que o clube esteja completamente errado. A Copinha é praticamente um bufê de jovens jogadores, onde empresários vão com todo apetite. Esse ano, quando dependeremos muito da base, ter jogadores se destacando na competição e despertando o interesse até do exterior realmente não valeria a pena.

De qualquer forma, é complicado ver o Vasco entrando numa competição resignado a não disputar o título. Mesmo com um grupo recém-formado e com muitos garotos que mal saíram do sub-17, vamos torcer. O empate não chegou a ser um resultado desastroso, já que os outros dois clubes da nossa chave também empataram. Uma vitória amanhã, contra o São Raimundo, será um passo importante para uma possível classificação.

***

Há menos de 10 dias, o presidente do Vasco declarou o seguinte à imprensa:

O Nenê vai ficar no Vasco. Isso daí (saída para outro clube) é conversa fiada. Não tem esse negócio. E se vier algo de fora, essa história de cláusula, eu posso cobrir, também. Ele já conversou comigo na segunda e disse que vai ficar. É só isso. Simples.

Mas já no sábado passado, o que ficamos sabendo pelo jornalista mineiro Léo Gomide foi o seguinte:

Das duas uma: ou o Dotô não está sabendo que jogadores são ou deixam de ser oferecidos aos nossos rivais ou o que ele disse ainda no dia 24 de dezembro é apenas mais uma das promessas que não precisam ser cumpridas pelo presidente vascaíno.

Levando-se em consideração a quantidade enorme de bravatas não realizadas, é bem mais fácil crer na segunda opção.

***

Não se esqueçam: o Blog da Fuzarca está participando do Top Blog 2015 e precisa do voto de vocês para levar esse caneco!  Cada leitor pode votar mais de uma vez, então não se acanhem em clicar aqui ou no banner na coluna à esquerda da página todos os dias (mais de uma vez, se possível)….

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG. E os usuários do Gmail também podem incluir a página do blog no Google Plus.

12 Comentários

Arquivado em Divisões de Base, Notícias, Resenhas, Vídeos

Haja fé

Jorginho não confirmou o time titular para partida de volta contra o São Paulo pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, que acontece logo mais na Arena Maracanã. Mas qualquer que seja a escalação, uma coisa ficará clara: o erro estratégico da comissão técnica no jogo de ida.

Todo vascaíno sabe que, nesse sofrido segundo semestre, a única prioridade possível para o Vasco é a permanência na Série A. Diretoria, Jorginho, jogadores e até os roupeiros sabem disso melhor que qualquer um. Ainda assim, nosso técnico escalou o time titular no jogo da ida. Como resultado, desgastamos um pouco mais o time principal e não evitamos uma derrota que praticamente inviabilizou a classificação na segunda partida.

Para fazer isso, teria sido melhor fazer o que fará hoje: levar os reservas e contar com a vontade de cada um deles em mostrar serviço ao treinador. Poderíamos ter perdido pelos mesmos 3 a 0 ou até por um placar maior, mas isso não mudaria em muita coisa a situação de hoje. E os titulares teriam se poupado da viagem e do cansaço do jogo.

Agora, reflitam: se nossos titulares tomaram uma cipoada dos cervídeos no jogo de ida (mesmo considerando o fato de termos jogado na casa do adversário), quais são as chances dos nossos reservas conseguirem reverter a vantagem tricolor? Antes de responderem a essa pergunta, lembrem-se que provavelmente teremos em campo hoje jogadores como Christianno, Seymour, Riascos e Herrera. Complicado, né não?

É muito triste fazer um post tão derrotista, mas convenhamos, essa é a realidade dos fatos. Uma classificação diante do São Paulo hoje entraria para a história do clube como uma das mais espetaculares viradas do Vasco, a meu ver, maior até que a da final da Mercosul. Naquele jogo não tivemos os 90 minutos que teremos hoje para inverter o placar. Por outro lado, também não temos Romário, Euller, Juninhos, Helton e companhia.

Pode não ser impossível, como nenhum resultado em futebol é. Mas como eu disse no post de ontem, é preciso ter uma fé tão inabalável que nem o mais xiita dos euriquistas conseguiria ter.

Copa do Brasil 2015

Vasco x São Paulo

Jordi, Bruno Ferreira, Rafael Vaz, Jomar e Christiano; Guiñazu, Lucas, Seymour (Thalles ou Renato Kayzer) e Emanuel Biancucchi; Riascos, Herrera.

Rogério Ceni; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Matheus Reis; Thiago Mendes, Carlinhos e Wesley; Ganso; Wilder e Alexandre Pato.

Técnico: Jorginho.

Técnico: Juan Carlos Osorio.

Estádio: Arena Maracanã. Data: 30/09/2015. Horário: 22h. Arbitragem: Marielson Alves Silva (BA). Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e Marcos Welb Rocha de Amorim (BA).

O canal Fox Sports transmite para seus assinantes em todo país.

***

Antes que alguém reclame que, já que vamos com o time reserva, o Jorginho poderia testar a molecada da base, vale lembrar que nosso time de juniores também está disputando a Copa do Brasil (sub-20) e decide uma vaga nas oitavas-de-final na competição com o Atlético-GO, em São Januário.

Com isso, mesmo que o Jorginho quisesse testar promessas como Bruno Cosendey e Mateus Vital ou dar mais uma chance para Matheus Índio e Lorran, não poderia. Evander e Andrey também não poderiam atuar hoje, já que estão servindo à seleção sub-17.

***

Então é assim: Rafael Silva é acusado de ter chamado o árbitro de fanfarrão e ladrão. Vai a julgamento e pega um gancho de quatro jogos.

Emerson Sheik, reincidente em casos de ofensas à árbitros, diz em cadeia nacional “Esse juiz é uma merda!“. Vai a julgamento e pega um jogo de suspensão.

Eis o STJD atuando como sempre: para os amigos tudo. Para o Vasco, os rigores da lei.

O departamento jurídico do Vasco ainda pode entrar com recurso. Será uma boa oportunidade para mostrar a tão propalada competência que  os defensores da diretoria gostam tanto de falar. Se ela não apareceu na primeira instância, quem sabe apareça agora.

***

Lembrando a todos que o Blog da Fuzarca está participando do Top Blog 2015 e o voto de vocês é importante para que esse humilde espaço leve, mais uma vez, esse caneco. Cada leitor pode votar mais de uma vez, então não se acanhem em clicar aqui ou no banner na coluna à esquerda da página todos os dias (mais de uma vez, se for possível)….

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG. E os usuários do Gmail também podem incluir a página do blog no Google Plus.

25 Comentários

Arquivado em Adversários, Divisões de Base, Notícias, Pré-jogo

Tempo para enxergar o óbvio

bernardoAs chuvas no Acre, que a adiaram a estreia do Vasco pela Copa do Brasil, acabaram por deixar menos movimentado o ritmo das novidades no clube, que teve na apresentação do Dagoberto seu grande destaque na semana. Os dias sem jogos serviram também para que Doriva tivesse mais tempo para treinar e ajustar a equipe para o Estadual. E pelo visto, também para enxergar algo que boa parte da torcida já tinha percebido.

E esse “algo” é que não há como manter a titularidade do Bernardo. Ainda que ontem tenha começado treino entre os titulares, é bem provável que o meia comece o jogo contra o Bonsucesso no banco, deixando a armação do time a cargo de Marcinho e Julio dos Santos. Ainda há espaço para outras alterações – Marcinho é outro que não justifica sua titularidade há tempos – mas a saída do Bernardo me parece ser a mais óbvia no momento.

Mesmo que seja um dos artilheiros da equipe no Carioca, Bernardo tem vivido das bolas paradas e de lances esporádicos, o que não é suficiente para sustentar a posição na equipe. E o esquema utilizado pelo Doriva em várias partidas também não justificam os constantes sumiços do jogador ao longo dos jogos. Seja com um atacante e três armadores ou com dois atacantes e dois meias, Bernardo tem se mostrado um vagalume daqueles que passam mais tempo apagados que acessos.

Com a chegada de Dagoberto, Doriva muito provavelmente adotará em definitivo o 4-4-2, com Gilberto e Dagol no ataque. Isso, além de tirar uma vaga que eventualmente poderia ser preenchida por um meia, vai exigir que um dos armadores se empenhe mais na marcação da saída de bola adversária (função na qual Dagoberto assumidamente não ajuda muito). Sendo assim, é melhor adiantar o serviço e preparar o grupo para essa nova forma de jogar, facilitando a adaptação do novo reforço quando ele tiver condições de jogo. E essa é outra razão que torna a ida do Bernardo para o banco a decisão mais óbvia a se tomar pelo treinador.

***

Então o garoto Ítalo, que até pouco tempo era titular da zaga nos Juniores, foi dispensado do seu contrato – que ainda tinha dois anos de duração – com o Vasco e acertou sua ida para o futebol italiano, onde já recebe elogios.

O garoto, com apenas 19 anos e que pertencia 100% ao Vasco, não teria, segundo a direção da base, “qualidade suficiente” para continuar no clube. Reforçando, o zagueiro titular do Vasco na última Copinha foi considerado fraco demais para nós, mas é uma grande promessa para a Inter de Milão. Não nos serve, mas serve para um dos maiores clubes da Europa.

Não entremos no que há de subjetivo ao analisar um jogador: digamos que a pessoa responsável por dar o veredicto sobre a dispensa de Ítalo tenha acertado e quem está enganado é o Roberto Mancini, técnico da Internazionale. Ainda assim, um clube que traz reforços das séries inferiores do futebol brasileiro pode se dar ao luxo de dispensar um dos destaques da base dessa forma? Um clube que precisa organizar uma vaquinha para reformar sua quadra tem condições de jogar no lixo o contrato de um jogador que vinha despertando interesse do exterior há anos?

Quero sinceramente crer que o fato de Ítalo ter ligações com Pedrinho Vicençote – próximo ao ex-presidente Dinamite – não tenha sido a razão para a dispensa de um patrimônio que pertencia ao Vasco e que futuramente – ou mesmo agora, já que o garoto foi quase que imediatamente para a Europa – poderia nos trazer muito lucro. Isso seria uma prova cabal de irresponsabilidade na condução dos interesses do clube.

***

Sem querer defender gangues organizadas – gangues mesmo, porque quem vai a estádios com o objetivo de criar brigas e tumultos não pode ser chamado de torcedor – me causa estranhamento ver que, na hora das punições exemplares, a Força Jovem esteja sempre entre as que sofrem sanções. Será que apenas a FJV e a Young Flor merecem ser punidas? Nenhuma outra organizada criou confusão que justificasse sua proibição nas arquibancadas?

Enquanto uma organizada do Vasco é punida com todo o rigor, outras podem invadir vestiários, agredir jogadores do time adversário e ter como conseqüência a criação de teorias conspiratórias que amenizem seus atos e uma punição inócua para o clube que torcem (a perda de UM mando de jogo para seu clube, que terá que se sacrificar e fazer uma partida em um estádio há menos de 10 km distante de onde manda naturalmente suas partidas).

Por mim, as organizadas reincidentes em criar confusões poderiam até ser definitivamente extintas. Mas isso deveria ser uma medida que atingisse as torcidas de TODOS os clubes, e não apenas de alguns. De outra forma, fica impossível não ver que certas torcidas têm privilégios que outras não desfrutam.

***

Ainda falando sobre o assunto, lendo O Globo de hoje, a matéria sobre a punição à Força Jovem e a Young Flor foi o principal tema na cobertura do Vasco. Me pergunto porque a cobertura tricolete não deu o mesmo destaque ao fato….

E o respeito…..

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

29 Comentários

Arquivado em Divisões de Base, Notícias, Reforços, Torcida, Transferências

Para fazer o oposto

Opposite_Mirror_by_AdamPoulsomNa terceira rodada do Estadual, o Vasco vai até Los Larios encarar o Tigres em sua casa. A equipe da Baixada até agora se mantém invicta, sendo um dos quatro times menores que ainda não perderam na competição. Cabe ao time do Doriva acabar com essa invencibilidade hoje.

Até porque, invicto ou não, o Tigres não pode ser um time que venha dar trabalho para o Vasco. Recém chegado da segundona carioca, nosso adversário não perdeu, mas também não venceu. Empatou com o Resende, que deu trabalho pra mulambada ontem, mas também empatou com o Nova Iguaçu, que foi massacrado pelo Fluzim. Ou seja, na média, o invito Tigres não tem nada de diferente de dos pequenos que já perderam e não há justificativa aparente para termos trabalho com eles.

Mas é claro que o Vasco precisa fazer por onde para conseguir a vitória. Se repetirmos a atuação preguiçosa que tivemos contra o Madureira, poderemos ter problemas, senão pela capacidade do adversário, pelos vacilos que nosso time pode cometer. Doriva repetirá pela terceira vez a escalação, mesmo sabendo que Christiano é um convite aos atacantes adversários e Rafael Silva é uma nulidade na frente. Mas ainda assim, se o time fizer diferente do que fez na rodada passada e se empenhar como deve, alguém do time, seja Bernardo, Marcinho, Montoya ou qualquer outro que entre no decorrer do jogo, acabará resolvendo a fatura.

Foguinho e Mulambos fizeram a parte deles na rodada e os tricoletes também não devem ter muito trabalho com o Bangu na Arena. Então os três pontos hoje são importantíssimos para o Vasco se manter numa boa colocação e, se possível, numa ainda melhor (bastando para isso ganhar por uma diferença de gols maior que o tricoflor). Então é lembrar o que foi feito contra o Madura e fazer tudo completamente diferente contra o Tigres. Isso deve ser o necessário para sairmos de Xerém com a vitória.

Campeonato Estadual 2015

Tigres x Vasco

Santiago; Zé Carlos, Tiago Spice e Matheus; Tiago Bastos, Silva, Sassá, Júnior e Edson; Jean Carioca e Paulinho Guará.

Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Christiano; Serginho e Lucas; Montoya, Marcinho, Bernardo e Rafael Silva.

Técnico: Rubens Filho.

Técnico: Doriva.

Estádio: Los Lários. Data: 08/02/2015. Horário: 19h30. Árbitragem: Luís Antônio Silva dos Santos. Auxiliares: Gilberto Stina Pereira e Daniel do Espírito Santo Parro.

O PFC transmite para seus assinantes em todo país no sistema Pay-per-view.

***

A atual gestão chegou ao poder falando que tudo seria diferente com relação aos erros da administração Dinamite. Mas, tirando ter se mostrado muito mais competente ao conseguir as CNDs (o que ainda não teve qualquer efeito prático, já que o patrocínio da Caixa ainda não foi renovado), a nova diretoria não tem mostrado ser muito diferente da anterior, infelizmente.

E entre as poucas diferenças entre a gestão Dinamite e a nova gestão Eurico, o que mudou parece ter sido para pior. Primeiro, os cartolas que agora estão no clube conseguiram trazer reforços de qualidade ainda mais duvidosa que a diretoria que saiu. E agora, a venda de jogadores da base, algo que foi uma reclamação constante na administração do Dinamite, é ainda mais rápida: os garotos nem precisam chegar a jogar entre os profissionais para serem negociados. É o caso do zagueiro Ítalo, que acabou de defender o Vasco na Copinha e, com apenas 19 anos, já foi vendido para a Inter de Milão.

Não se sabe até agora quanto o Vasco lucrou com a negociação. Mas independente da grana, perder uma promessa dessa forma já é prejuízo para o clube.

***

Mas tem gente que lucra com as negociações de jogadores do Vasco. Erick Luis e Bruno Ferreira, que chegaram mês passado ao clube, nem bem chegaram e já foram negociados. Desnecessário dizer que, mesmo sem terem jogado com a camisa cruzmaltina, os jogadores tiveram alguma valorização pelo simples fato de ter no currículo uma “passagem” (e bota aspas nisso) por um dos maiores clubes do país. Sorte dos rapazes terem empresários tão competentes….

Ao explicar o empréstimo dos jogadores, Paulo Angioni lembrou que o Vasco tem um grupo grande e que o Carioca só permite 28 inscrições. Então surgem as dúvidas: se havia um número limitado de inscrições, por que as contratações em baciadas? Será que a diretoria simplesmente não se informou a respeito do regulamento da competição? Ou será que apenas não sabe contar?

Torçamos para que esse não seja o nível do planejamento do departamento de futebol nos próximos três anos…..

PS: vale assinalar que Erick Luis é um dos jogadores que tiveram passagem pelo rebaixado Olaria em 2013.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

19 Comentários

Arquivado em Adversários, Divisões de Base, Notícias, Pré-jogo, Transferências

Frustração e esperança

COPINHAQuis um regulamento estapafúrdio e que não privilegia o mérito que Vasco e Cruzeiro, times que tiveram dois dos melhores desempenhos na Copa São Paulo, se cruzassem logo na primeira partida eliminatória na competição. E não fosse o absurdo critério alfabético a definir os adversários da segunda fase da Copinha, talvez a molecada vascaína tivesse mais sorte. Visivelmente nervoso em alguns momentos do jogo e aparentemente sentindo a pressão, os garotos da Colina não resistiram, perderam para time mineiro por 2 a 1 e saíram prematuramente da disputa.

Pode parecer desculpa, mas até justifica: fosse pensado com lógica, o cruzamento do Vasco no jogo de ontem deveria ter sido com o segundo pior classificado na repescagem, já que fizemos a segunda melhor campanha na fase de grupos. Um adversário – teoricamente – menos complicado seria ideal para os nossos garotos entrarem mais relaxados em campo, o que evidentemente não aconteceu contra a Raposa. O time começou a partida aparentando nervosismo, permitindo ao Cruzeiro comandar as ações em campo. E foi assim até sofrermos o primeiro gol, após um vacilo da zaga e uma finalização que pegou nosso goleiro de surpresa.

Em desvantagem no placar, começamos a igualar o jogo. O time passou a se movimentar melhor e começou a incomodar a defesa cruzeirense. Até que nos trinta, em um rebote após a bola carimbar o travessão do adversário, o atacante Daniel cai numa disputa de bola e o juiz marca pênalti. O zagueiro Kadu bate e empata a partida, que seguiu equilibrada até o intervalo.

Mas bastaram seis minutos na etapa final para acontecer um lance capital, infelizmente a favor do Cruzeiro: o lateral Márcio, que já tinha um amarelo, mete a mão na bola em uma jogada infantil e acaba expulso. Com um a menos, restou ao Vasco ceder espaços para o adversário e esperar uma chance para um contragolpe. As jogadas acabaram não saindo, masa defesa se segurava bem. Quando a disputa de pênaltis parecia certa, acabamos levando o segundo gol, em um lance bobo de escanteio. Faltando menos de 10 minutos para o fim da partida, o desempate abateu de vez os garotos da Colina, que não conseguiram acertar mais nada.

Fomos eliminados mas não há motivo para se crucificar os meninos. Perdemos, mas se fosse outro o resultado, não seria nada anormal, já que o Cruzeiro, ainda que tenha sido superior, teve bastante trabalho com o Vasco, mesmo tendo um jogador a menos. E se não podemos crucificar o time, menos ainda devemos atribuir culpados individualmente. Se um ou outro cometeu falhas ou se não rendeu tudo o que poderia, isso é mais que natural para jogadores tão novos. O que deve ficar na cabeça da torcida é que, mesmo com a frustração de mais uma eliminação precoce na Copinha, a molecada mostrou que tem jogadores muito promissores, possivelmente a melhor safra da base em muitos anos. Se isso não serve de consolo por mais um fracasso na competição, serve ao menos para nos dar esperanças de que em breve teremos várias crias da casa como boas opções para o time principal.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

 

40 Comentários

Arquivado em Divisões de Base, Resenhas, Vídeos