Largada para o bicampeonato

largadaDepois de uma primeira fase que só se justifica para inchar uma competição que já não desperta tanto interesse e para garantir alguns votinhos importantes na FERJ, podemos dizer que o Estadual desse ano começou nesse fim de semana, com a primeira rodada da Taça Guanabara. E nesse que pode ser considerado o primeiro jogo pra valer de 2016, o Vasco encara o Bangu, a equipe que teve a pior campanha entre os oito classificados.

Será o segundo confronto entre os times esse ano. O primeiro foi ainda na pré-temporada em Pinheiral, partida que vencemos por 2 a 1. Estávamos em janeiro, era apenas o segundo jogo-treino da equipe e certamente o nível de exigência de hoje é muito maior. E, como não pode deixar de ser, a responsabilidade da vitória é completamente nossa: além da já citada irregularidade da campanha do Bangu no Carioca, temos um elenco muito superior e jogamos em casa.

O Vasco vai para o jogo com a formação que todo torcedor já sabe de cor. Com apenas um desfalque entre os titulares (Riascos segue contundido e dá lugar ao Thalles), Jorginho manterá o 4-1-2-1-2 que atuou em grande parte da competição. A mudança no ataque não chega a causar uma transformação no time, mas altera um pouco a forma de jogar da equipe. Com Thalles, perdemos a maior movimentação do Riascos, mas ganhamos em presença de área. Com isso, os meias de criação precisam se aproximar mais do ataque, já que o garoto precisa receber bolas mais prontas para o arremate. Além disso, com Nenê e Andrezinho mais perto da área, podemos explorar as jogadas de pivô que Thalles pode executar com mais qualidade que o colombiano.

Já defensivamente, o Vasco precisa esquecer as últimas rodadas da primeira fase – quando sofremos quatro gols em três partidas – e ter em mente que todo jogo agora é importante. Mesmo contra um adversário em teoria mais limitado, não podemos contar que o Bangu não nos trará problemas: o ataque alvirrubro, por exemplo, tem mais gols que o botafoguense. Como de praxe nesse tipo de confronto, nosso adversário deve jogar esperando o contra-ataque, e isso exigirá do time do Jorginho uma reposição defensiva mais veloz do que a que vem apresentando ultimamente. Como o time fará isso com tantos trintões no meio de campo, é algo que deve ser resolvido pelo treinador (que no final das contas, é o responsável pela escalação e por preferir certos veteranos que se arrastam em campo).

Seja como for, o Vasco deve confirmar seu favoritismo contra o Bangu e, diante das circunstâncias, não estará fazendo nada além da sua obrigação. Estamos defendendo o título da competição e não podemos nem pensar em perder pontos para os times pequenos, principalmente porque a Taça Guanabara terá apenas sete partidas e seu vencedor entra nas semifinais com a vantagem do empate (que será muito importante, já que a vaga para a final será decidida em um jogo único). A briga pelo bicampeonato terá sua largada propriamente dita hoje e o Vasco não pode perder a chance de disparar desde o começo.

VascoXMadura

Vasco X Bangu

Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Thalles.

Célio Gabriel, Paulo Barrach, Anderson Penna, Matheus Avelar e Guilherme; Ives, Junior, Magno e Almir; Geovanni e Tiago Barreiros (Igor de Paula).

Técnico: Jorginho.

Técnico: Emanoel Sacramento.

Estádio: São Januário. Data: 13/03/2016. Horário: 16h. Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães. Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha.

As redes Bandeirantes (AM, AC, RO, RR, AP, TO, PA, MA, PI, RN, PB, PE, AL, SE, BA, DF, MG, ES e RJ) e Globo (RJ, ES, TO, SE, PB, RN, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF)  transmitem ao vivo. O canal PFC transmite para seus assinantes em todo país .

***

voteATENÇÃO:  a votação n0 segundo turno do Prêmio Top Blog termina no próximo dia 31 de março e o Blog da Fuzarca precisa mais que nunca da ajuda de vocês. Para dar aquela moral ao Blog, basta votar – lembrando que é possível votar mais de uma vez – clicando no banner que está aí na lateral direita da página ou clicar aqui.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG. E os usuários do Gmail também podem incluir a página do blog no Google Plus.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Adversários, Pré-jogo

6 Respostas para “Largada para o bicampeonato

  1. ODILON C SILVA - RJ

    Atuação.preocupante, pouco importa se o flamerda, ou outro clube qualquer também jogou mal, o que.importa aqui é o Vasco, preocupante atuação do time nessa partida contra o Bangu……Até porque, vários times da segundona do brasileiro são bem melhores que esses times do carioca..

  2. Luiz Afonso

    Cara, eu confesso que não entendo quando insistem nessa tecla de que o campeonato carioca está inchado.
    Evidente que diversos jogos não despertam interesse, contudo é o momento de pintar alguma revelação dos times chamados pequenos que possam ser aproveitados nos times chamados grandes. E isso só se dá a partir do momento em que eles possam enfrentar, não só seus adversários dos times chamados pequenos, como também seus adversário dos times chamados grandes. Se destacar contra o Bonsucesso é uma coisa, Se destacar contra Vasco, framengo, fruminense ou botafogo, é outra completamente diferente.
    Se pararmos de dar essa oportunidade aos atletas dos times chamados pequenos, aí sim o futebol do Rio vai falir de vez.
    O que eu concordo, e que não deve restar qualquer dúvida, é que as partidas não podem ser jogadas em chiqueiros, mas em campos que o gramado seja ao menos decente.

    E que iniciemos bem essa nova fase.

    Saudações.

    • JC Barbosa

      Só pra ver se eu entendi…

      Vc acha que um jogador de time pequeno só pode mostrar qualidade jogando contra times grandes, justo quando será mais complicado para ele ter uma boa atuação (exatamente pq terá pela frente adversários mais complicados ou por conta de um natural nervosismo)? Ou, vendo a questão pelo outro lado, vc acha que um jogador pode se destacar contra todos os Bonsucessos do Rio, mas se for mal contra os quatro grandes ele necessariamente não tem qualidade?

      Vc acha que manter um Estadual com uma primeira fase inútil como a desse ano se justifica por conta dos confrontos entre pequenos e grandes e pela garimpagem de jogadores que pode existir nesses momentos? Mesmo quando, como esse ano, os pequenos só tenham jogado duas partidas com os grandes? Será que a única fonte de revelações para os 4 grandes do Rio é o Estadual? E, vale a pergunta, qual foi a última contratação de destaque de um dos grandes do Rio que veio de um time pequeno do Estado?

      Vc acredita que a única forma de um time grande contratar um jogador de time pequeno é se ele se sair bem contra os grandes? Não acha que todo dia surgem toneladas de empresários querendo empurrar seus atletas para times grandes com DVDs e pedidos de testes?

      Com o mercado do futebol como está hj, no qual qualquer jogador que mostre um pouquinho de talento já é visado ainda na base dos times (sejam grandes ou pequenos) é a venda de um jogador por conta do estadual que sustenta os clubes pequenos do Rio?

      Acha justo que os quatro grandes tomem prejuízo ano após ano para “sustentar” o futebol do Rio nos três meses em que rola o Estadual? Será que os clubes pequenos não precisam ter gestões melhores? Ou apenas os grandes precisam ser cobrados quanto a isso?

      A discussão pode ter várias outras questões além dessa e outras tantas opiniões diferentes. Mas não vejo como concordar que um campeonato com times como Tigres e Bonsucesso não esteja inchado.

      • Luiz Afonso

        Respondendo suas perguntas, uma a uma, pela minha ótica:

        “Vc acha que um jogador de time pequeno só pode mostrar qualidade jogando contra times grandes (…) ?” R: Não necessariamente, mas é nesses jogos que ele mostra que sabe atuar bem também sobre uma maior pressão.

        ” (…) vc acha que um jogador pode se destacar contra todos os Bonsucessos do Rio, mas se for mal contra os quatro grandes ele necessariamente não tem qualidade?” R: Com certeza pode até ter qualidade, mas não estaria na minha lista de reforços.

        “Vc acha que manter um Estadual com uma primeira fase inútil como a desse ano se justifica por conta dos confrontos entre pequenos e grandes e pela garimpagem de jogadores que pode existir nesses momentos?” R: Sim, acho! Alguns jogarão somente duas, os outros quatro jogarão no mínimo seis vezes contra os grandes!

        ” Será que a única fonte de revelações para os 4 grandes do Rio é o Estadual? ” R: Certamente que não, mas é uma importante fonte com bastante exposição.

        “(…) qual foi a última contratação de destaque de um dos grandes do Rio que veio de um time pequeno do Estado?” R: Não faço a menor ideia…

        “Vc acredita que a única forma de um time grande contratar um jogador de time pequeno é se ele se sair bem contra os grandes?” R: Não, mas é um ótimo critério, caso ele também tenha realizado boas partidas contra times pequenos.

        “Não acha que todo dia surgem toneladas de empresários querendo empurrar seus atletas para times grandes com DVDs e pedidos de testes?” R: Confesso que não entendi essa pergunta, pois ela só reforça a tese de que o campeonato tem realmente que ter um grande número de times, para que esses atletas possam ser efetivamente observados. Ou vamos contratar por DVDs (é sério isso?)? Faço um DVD que o Madson vai parecer um gênio, assim como o Riascos e tantos outros…

        “Com o mercado do futebol como está hj, no qual qualquer jogador que mostre um pouquinho de talento já é visado ainda na base dos times (sejam grandes ou pequenos) é a venda de um jogador por conta do estadual que sustenta os clubes pequenos do Rio?” R: Eu creio que os clubes pequenos não reclamam da visibilidade do Estadual, pelo contrário, ajuda a pagar a folha de muitos deles. Se conseguirem vender um jogador, certamente melhora um pouco mais. Sem falar que, assim como existem os talentos precoces (já captados pelos grandes), alguns atletas levam mais tempo para amadurecer e despontar.

        “Acha justo que os quatro grandes tomem prejuízo ano após ano para “sustentar” o futebol do Rio nos três meses em que rola o Estadual?” R: Se você fala apenas na bilheteria do estádio, entendo quando você se refere a prejuízo. Por outro lado, pelo que recebem pelos direitos de televisionamento, será que existe prejuízo mesmo? Eu acompanhei quase todos os jogos do Vasco, pagando pra ver na TV fechada. O público do estádio é muito, mas muito menor mesmo, do que o público do jogo. E claro que a ausência do Maracanã influi diretamente na baixa média de público nos estádios.

        “Será que os clubes pequenos não precisam ter gestões melhores? Ou apenas os grandes precisam ser cobrados quanto a isso?” R: Todos têm que ter gestões melhores, mas nunca fui gestor, nunca trabalhei diretamente com futebol… Assim, difícil para mim julgar a gestão dos clubes pequenos, porque sequer imagino a realidade deles…

        Saudações.

      • JC Barbosa

        “Não necessariamente, mas é nesses jogos que ele mostra que sabe atuar bem também sobre uma maior pressão”.

        Ok.

        “Com certeza pode até ter qualidade, mas não estaria na minha lista de reforços”.

        Aí é uma questão de ponto de vista mesmo. Acho muito mais correto avaliar um jogador numa sequência que desconsiderá-lo completamente por conta de um partida (até pq, como vc disse, seriam jogos com maior pressão. Se jogadores jovens de times grandes sentem a pressão em clássicos, imagine em um time pequeno. Segundo seu critério, Alex Teixeira, Allan Kardec e mais um monte de outros não estariam na sua lista de reforços.

        “Sim, acho! Alguns jogarão somente duas, os outros quatro jogarão no mínimo seis vezes contra os grandes!”

        Dá uma olhada nos times que foram eliminados na primeira fase e veja se algum jogador se destacou. Seguindo seu critério, a primeira fase é ainda mais dispensável, já que na segunda já há bastante confrontos entre grandes e pequenos.

        “Certamente que não, mas é uma importante fonte com bastante exposição”.

        Seria muito mais barato para os clubes contratar um olheiro que fazer um monte de jogos deficitários.

        “Não faço a menor ideia…”

        Nem eu. E provavelmente nem os dirigentes dos clubes grandes.

        “Não, mas é um ótimo critério, caso ele também tenha realizado boas partidas contra times pequenos”.

        “(…) ela só reforça a tese de que o campeonato tem realmente que ter um grande número de times, para que esses atletas possam ser efetivamente observados. Ou vamos contratar por DVDs (é sério isso?)? Faço um DVD que o Madson vai parecer um gênio, assim como o Riascos e tantos outros…”

        Vc não entendeu o meu ponto: a questão é que considerar uma ou duas boas partidas contra grandes é o mesmo que contratar por DVD, já que uma partida não é parâmetro pra nada. Mesmo que o cara marque 4 gols contra um grande, não quer dizer que ele seja um jogador regular.

        Eu creio que os clubes pequenos não reclamam da visibilidade do Estadual, pelo contrário, ajuda a pagar a folha de muitos deles. Se conseguirem vender um jogador, certamente melhora um pouco mais. Sem falar que, assim como existem os talentos precoces (já captados pelos grandes), alguns atletas levam mais tempo para amadurecer e despontar.

        É claro que os pequenos não vão reclamar do Estadual. Para eles, a situação é a contrária do grandes. E claro que uma venda qualquer ajudará um clube com poucos recursos. O que não faz sentido pra mim é alongar o Estadual com essa justificativa.

        Sobre levar mais tempo para amadurecer e despontar, repito: qual foi a última vez que algo assim aconteceu no futebol do Rio?

        “Se você fala apenas na bilheteria do estádio, entendo quando você se refere a prejuízo. Por outro lado, pelo que recebem pelos direitos de televisionamento, será que existe prejuízo mesmo? Eu acompanhei quase todos os jogos do Vasco, pagando pra ver na TV fechada. O público do estádio é muito, mas muito menor mesmo, do que o público do jogo. E claro que a ausência do Maracanã influi diretamente na baixa média de público nos estádios.”

        Se o Estadual não tivesse a primeira fase, a cota dos grandes não cairia tanto. E a questão não passa apenas pelos públicos ridículos de 90% das partidas. Os custos, as viagens, os riscos de contusão dos jogadores e mais um monte questões são prejudiciais para os grandes.

        “Todos têm que ter gestões melhores, mas nunca fui gestor, nunca trabalhei diretamente com futebol… Assim, difícil para mim julgar a gestão dos clubes pequenos, porque sequer imagino a realidade deles…”

        Mesmo sem poder julgar, acredito que vc possa imaginar que gestões melhores fariam com que os clubes pequenos conseguissem outras formas de lucrar além do carioca.

  3. Gilberto SOARES SC

    É isso ai, chegou a hora da verdade, vamos pra cima deles e garantir os três pontos, rumo ao bi campeonato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s