No more forever alone

foreverPor mais que consideremos o modesto Oeste de Itápolis, nosso adversário de hoje pelo Brasileiro, o fato que me parece mais importante é que essa será a última partida do Vasco sem o apoio da sua torcida. Finalmente chegamos ao terceiro jogo com portões fechados, cumprindo metade da exemplar punição imposta destinada pelo STJD, aparentemente, apenas ao piores vilões do futebol brasileiro: nós e o Atlético-PR. Depois de hoje, não estaremos mais sozinhos em campo, mas estará nas mãos da torcida vascaína de fora do Rio a missão de empurrar o time das arquibancadas, quando teremos ainda três jogos a 100 quilômetros para terminar de vez a rigorosa pena que nos imputaram.

Eu poderia citar a penca de outras brigas em estádios que foram tão graves quanto e não deram em nada, mas não estamos aqui pra isso. Falemos sobre a partida de hoje.

Por conta da nossa incompetência nas duas primeiras rodadas, estamos disputando posições diretamente com o Oeste, que tem os mesmos quatro pontos que temos. Além disso, uma vitória hoje pode nos colocar pela primeira vez no G4, lugar o qual temos o dever moral de não sair após chegarmos.

(parênteses: levando essa discussão realmente a sério, dever moral mesmo era ficar no G4 pelas 38 rodadas. Ou, sendo ainda mais sério, não deveríamos sequer pensar em G4 da Série B. mas não estamos aqui pra isso. Fecha parênteses)

Adilson ainda não definiu o time e só saberemos quem serão os titulares quando o treinador entregar a relação antes do jogo. Diego Renan deve voltar ao time, provavelmente no lugar o André Rocha, mas há a possibilidade do Marlon rodar. E Marquinhos pode ceder a vaga a Fabrício, o que nos faria voltar a um 4-4-2. Não seria o fim do mundo, mas escolher esse formação me parece um equívoco do técnico.

Explico: se é pra ter mais um volante em campo, seria melhor ter pelo menos um que tivesse maior poder de marcação. Com Fabrício, Danilo e Bastos, não teremos um primeiro homem típico, já que os dois primeiros costumam aparecer no ataque e Bastos não traz segurança no combate. O ideal seria tirar também o Bastos e colocar o Aranda ( que fatalmente entrará no jogo, mas no lugar do Danilo, que não rende tanto jogando mais recuado).

Ainda assim, o que todos esperamos é mais uma vitória. O momento não é nada bom e ver o Vasco no meio da tabela de uma série B não ajuda em nada. Precisamos marcar com mais atenção – ainda mais sem ter um típico primeiro homem de meio campo – e acertar na pontaria para não repetirmos a atuação que tivemos contra o Treze. Estar entre os quatro primeiros colocados na competição será um incentivo para não termos arquibancadas vazias mesmo quando jogarmos com os porões abertos.

Campeonato Brasileiro 2014

Vasco x Oeste

Martín Silva, André Rocha (Diego Renan), Luan, Douglas Silva e Marlon (Diego Renan); Fabrício (Marquinhos), Danilo, Fellipe Bastos e Douglas; Yago e Thalles.

Paes; César Gaúcho, Ligger e Cris; Eric, Leandro Melo, Fernandinho, André Luiz e Dênis; Borebi e Lelê.

Técnico: Adilson Batista

Técnico: José Macena.

Estádio: São Januário. Data: 10/05/2014. Horário: 16h20. Árbitro: Anderson Daronco (RS). Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Eduardo Calza (RS).

O Premiere transmite transmite para seus assinantes e no sistema Pay-per-view para todo o Brasil.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Adversários, Pré-jogo

3 Respostas para “No more forever alone

  1. Acabou o primeiro tempo dessa coisa que não se pode chamar de futebol. Me Deus como é difícil para mim ver o Felipe Bastos tentar acertar um passe. O cara se tornou o armador do time que desgraça, erra todos os passes, longos então, é uma grandeza, ele pensa que é o Gerson.

    Sinceramente não dá mais, paciência tem limite, já é hora de procurar outro técnico, com o Adilson não dá. Um técnico que escala um meio de campo desses não pode ser chamado de técnico de futebol, assim como o Felipe Bastos não pode ser chamado de jogador de futebol.

    Não dá para conceber essa situação, o Vasco deve ser respeitado mas o técnico o escala como time pequeno. Um meio de campo lento que não acerta uma jogada, parece futebol de veteranos. O Fabrício não existiu em campo assim como o Douglas vaga-lume, esse Danilo é um Zé ninguém, ainda bem que foi vendido, não joga coisa alguma.

    Conclusão, estamos jogando com menos 3, esse técnico é um cagão, está se borrando todo contra o OESTE, o poderoso, o esquadrão, a seleção do OESTE.
    Com todas as letras esse técnico poderia pedir pra cagar e sumir do Vasco, não tem capacidade de treinar um clube com a história do Vasco ou ele não a conhece, some do Vasco seu traste, vai para o diabo que te carregue.

    Que ódio ter que ver ver o tal FB em campo.

    SDV

  2. ANTONIO DIAS - CAMPINAS - SP

    Eu coloquei o link do site do JC lá no outro blog (Bruno) e ele não publiucou o meu comentário.
    Esse Bruno publica zoações de TIME LADRÃO, mas não publica da concorrência. Também, o blog dele anda tendo 30 a 40 comentários. Tem que temer a concorrência mesmo.
    Abraços JC.

  3. ate que fim jc achei se blog o outro blogueiro do GE e uma bosta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s