Mais fácil que o normal

Vencemos a primeira no Brasileiro, com um placar convincente (mais que o futebol apresentado) e com uma atuação bem melhor que as últimas recentes. Mas sem querer ser o chato de plantão, esses 3 a 0 sobre o Atlético-GO tem tudo pra NÃO ser a regra no campeonato. Não pelas vitórias do Vasco, que inevitavelmente aparecerão, principalmente quando tivermos todos os jogadores à disposição de Adilson; mas pela facilidade que tivemos na partida.

Explico. Pelo menos duas coisas que não vão acontecer sempre colaboraram muito para nossa vitória: o gol logo no começo da partida e um adversário que fará mais que ficar no seu campo esperando o Vasco tomar a iniciativa.

A primeira impressão que tive do Dragão, antes mesmo do gol de falta do Douglas logo aos três minutos, é que, diferente de todos os nossos últimos adversários (e podem incluir aí a mulambada) foi a marcação adiantada do time. Mesmo jogando com três volantes, o time goiano marcava além da linha do meio de campo, tentando atrapalhar nossa saída de bola. Isso nos dificultou a vida, mas quando a bola conseguia chegar aos nossos meias, havia mais espaço para se pensar a jogada ou acionar Marquinhos e Yago. Foi assim que começou a jogada que terminou na falta cobrada pelo nosso camisa 10.

Com a vantagem no placar, o Atlético não tinha porque mudar sua estratégia e sua marcação – mais competente que a nossa, apenas com Danilo e Bastos – nos atrapalhava, mas continuava a nos oferecer espaços. No segundo tempo, com a troca de um volante por um meia no rubro-negro, voltamos a sofrer um pouco até o time se acostumar com a nova movimentação do adversário, o que durou até a entrada do Aranda em campo no lugar do Marquinhos. O paraguaio reforçou a marcação no meio de campo e deu mais liberdade para o Bastos, que não estava bem no combate. Surpreendentemente, o dançarino do time até acertou alguns bons passes, a maioria deles explorando a velocidade do Yago.

Com a marcação mais bem posta e o Atlético ainda buscando o empate, passamos a ter o melhor momento na partida, com espaço para jogar e valorizando a posse de bola até aparecer o momento certo para atacar. Assim saiu os outros gols, ambos contando com a chegada surpresa do Marlon, que finalizou com eficiência nas duas oportunidades.

A primeira vitória deve trazer mais tranquilidade ao time, o que será importante para compensar o começo ruim na competição e nos fazer acumular o máximo de pontos antes da parada para a Copa. Mas acho muito difícil, ainda mais depois da vitória de ontem, que daqui pra frente encaremos outros adversários que não se preocupem primordialmente com a defesa. E se isso acabar acontecendo, o time ainda precisará saber jogar contra retrancas da mesma forma que jogou ontem.

***

As atuações…

Martin Silva – sua presença em campo poderia até trazer uma punição ao clube, já que o jogo não poderia ter torcida e nosso goleiro não foi mais que um espectador em campo.

Diego Renan – atuando pela direita, até ajudou no ataque (chegando a finalizar com perigo algumas vezes), mas não foi tão presente ao apoio como quando atua pela esquerda. De qualquer forma, ainda que também tenha deixado alguns espaços na sua lateral, não nos fez ter qualquer saudade do André Rocha.

Luan – só teve trabalho quando a proteção à zaga dava algum vacilo, mas trabalho não é sinônimo de problema, o que Luan não teve em momento algum.

Douglas Silva – mais uma vez mostrou personalidade e seriedade, mesmo sem ter, como o Luan, muitos problemas.

Marlon – vinha tendo uma atuação de mediana para fraca até mostrar boa movimentação e desandar a fazer gols.

Danilo – na maioria do tempo jogou à frente do Bastos, numa posição mais próxima da que deve jogar e foi bem. Mas quando ficava na proteção à zaga, não mostrou o poder de combate que a posição exige.

Fellipe Bastos – no primeiro tempo, não foi bem na marcação e errou a penca de passes que estamos habituados a ver. Melhorou com a entrada do Aranda, quando avançou um pouco e deu alguns bons passes na frente.

Douglas – não fosse o bonito gol de falta logo aos três minutos de jogo, teria sido o jogador mais irritante do time, errando a maioria dos passes que tentou. No segundo tempo acertou mais e ajudou o Vasco a manter a bola no campo de ataque. Dakson entrou no seu lugar no fim e pouco fez.

Yago – foi muito acionado enquanto esteve em campo e mostrou habilidade na construção de jogadas ofensivas. William Barbio entrou em seu lugar e, tirando um possível cansaço do Yago, não há outra justificativa para sua entrada em campo.

Thalles – em muitos momentos não soube escapar da marcação adversária, ficando envolvido por até três defensores. Com isso, acabou não sendo muito efetivo.

Marquinhos – deu muito trabalho para a defesa adversária com sua velocidade, mas poderia caprichar melhor no último passe. Fez grande jogada antes de receber a falta que originou o gol do Douglas. Aranda entrou em seu lugar para reforçar a marcação no meio e acabou sendo também importante na frente, acertando um passe excelente para Marlon marcar o segundo gol vascaíno. Acertou uma bola no travessão em bom chute.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

Anúncios

32 Comentários

Arquivado em Atuações, Resenhas, Vídeos

32 Respostas para “Mais fácil que o normal

  1. David

    Deixei claro que prefiro o time com dois meias e dois atacantes, consequentemente e por lógica coerente com dois volantes.
    Vou desenhar para ver se você entende então!
    Bastos fora do time!
    Escalar o simples e clássico 4-4-2, no momento com quem o time pode contar:
    Aranda, Danilo (Fabrício) , Douglas e Montoya (Dakson) no meio.
    Thalles e Yago (Marquinhos) no ataque.
    Simples, conciso. Será preciso explicar ao blogueiro a função que cada um deve desempenhar?!

    Sim foi esse esquema mesmo que não é bom para jogar, pois quando entrou com suas escalações ruins com Reginaldo, Bastos, Bernardo, Barbio, o time não rendeu e se rendeu, talvez você foi a única pessoa que pode ter gostado.
    Campeonato estadual fraco e ruim!
    Foram erros de arbitragem que fizeram o time perder pontos contra Cabofriense ou nos primeiros dois jogos??
    Falando dos jogos da final… A grande capacidade de nossos jogadores perderem gols também foram cruciais.

    • JC Barbosa

      Foi preciso vc explicar, já que na sua fixação pelo Bastos, vc não soube se explicar (ou pensou numa explicação agora, depois de ter se enrolado).

      Vc só veio a falar em tirar um dos atacantes no seu último comentário. Antes, o que vc tinha dito foi “Para fazer a função que ele desempenha mal poderia o Adilson dar mais chances ao Dakson ou Montoya“. Se vc não quis dizer com isso iria substituir um volante (Bastos) por um meia-atacante (Dakson ou Montoya), se expressou muito mal, já que é isso que está escrito.

      O “time não rendeu” com Reginaldo, Bernardo e Barbio é fácil. Com o time titular – que desses só tinha o Reginaldo e cumprindo bem sua função tática, o que aparentemente pra vc não faz a menor diferença – o time jogou bem sim, ou pelo menos foi superior a todos os seus adversários. E, na boa, eu não sou mesmo o único a achar isso. Talvez vc não acompanhasse o blog quando estava no globoesporte.com. Ou se acompanhava, não prestava muita atenção aos comentários dos leitores.

      E se sua discussão aqui é com relação ao esquema tático, seu último argumento é de uma fraqueza incrível:

      Não foram os erros de arbitragem que nos fizeram perder pontos contra a Cabofriense. talvez vc não se lembre, mas perdemos o jogo por conta de DOIS ERROS individuais do Jomar. O treinador poderia ser o Guardiola e o esquema poderia ser o que vc tanto idealiza. O erro de um jogador não é influenciado por nada disso.

      E, ainda caso vc não se lembre (ou apenas esteja ignorando os fatos para reforçar sua teoria), o time dos primeiros jogos foi o seguinte: Diogo Silva, André Rocha, Luan, Rodrigo e Marlon; Guiñazu, Abuda e Fellipe Bastos; William Barbio, Reginaldo e Edmílson. Vc pode achar que as entradas de Martín Silva, Aranda, Diego Renan e Everton Costa no time não melhoraram a equipe, e aí eu entenderia a citação aos dois primeiros jogos.

  2. David

    JC pedir bom humor quando o assunto é Bastos é muito para mim, pois há tempos meu bom humor foi tirado quando se tratar desse pseudo-jogador.
    Quando digo que devia escalar Dakson ou Montoya no lugar do Bastos é porque esse último não desempenha sua função de forma no mínimo satisfatória. Por isso não vejo motivo algum para sua manutenção no time titular.
    O fato de Dakson ou Montoya não fazerem a mesma função também não é motivo para que eles não sejam escalados e testados mais vezes. Principalmente com o colombiano como meia-atacante, coisa que ainda não aconteceu.

    Primeiro: Bastos não é meia, não é volante pois não marca e não é segundo homem do meio de campo pois também não sabe passar e tem uma saída de bola no mínimo sofrível.
    Segundo: o fato do Bastos acertar um mínimo de passes laterais ou um pouco a frente é obrigação!!!
    Terceiro: Nunca disse que Montoya deveria fazer a mesma função que Bastos, até porque digo sempre que o colombiano é meia-atacante e se destacou jogando centralizado no futebol argentino. Portanto ele não faria o mesmo papel do Bastos e sim o que ele deve saber. Mas cabe realmente ao técnico a escalação e não a você JC e nem a mim. PORTANTO…
    Quarto: Sua defesa quanto a manutenção do Bastos no time não tem cabimento.

    O pedido de Dakson no time ou Montoya é pessoal, pois vejo que eles podem dar uma nova dinâmica ao time, coisa que não existe quando o querido do treinador estar em campo.
    Como disse bem acima, o Dakson pode armar jogadas muito melhor que Bastos, visto que o dançarino de rumba não arma, não passa bem e não marca ninguém. Portanto o fato do Dakson também não marcar ou marca mal, não vai alterar em nada a defesa vascaína, mas poderia sim dar mais opções para nosso ataque. Até porque Dakson tem mais visão de jogo e um chute um pouco menos ruim que o Bastos que só chuta com a bola parada.
    Quanto ao garoto Montoya, é um cara para tentar jogadas individuais e tentar entrar nesses esquemas retranqueiros que os técnicos fazem e que deram certo contra o Vasco.

    • JC Barbosa

      Acho que esse assunto não mereceria sequer a sua tréplica, mas vamos lá….

      1º) como vc mesmo disse, infelizmente a sua ou a minha opinião sobre o Bastos não vai influenciar minimamente a escalação dele ou não. Vc não o considerar meia nem volante ou ter a opinião de que ele não sabe passar/sair com a bola/marcar não muda o fato de que, para o Adilson, alguma dessas coisas ele deve saber fazer.

      2º) Não vi ninguém aqui discordando disso. E quando citei os passes que ele acertou não foram passes laterais. Mais uma vez: o fato de vc detestar o Bastos não o impede de acertar eventualmente. Mesmo que vc rogue praga para ele errar tudo.

      3º) Aí rola um problema pra entender o que está escrito: eu não falei que vc quer que o Montoya faça a função do Bastos. Falei que vc quer que o Montoya substitua o Bastos, que são coisas bem diferentes.

      A questão é: vc vai tirar alguém que marca – seja bem ou mal – para colocar alguém que NÃO marca. Ou seja, como eu falei, e acho que de forma bem clara, não haveria lógica em substituir o Bastos pelo Montoya ou Dakson no esquema que o Adilson definiu para o time. A não ser que vc queira que o time tenha três atacantes, um meia atacante, um meia e apenas UM volante no meio de campo.

      4º) Essa de “defesa à manutenção do Bastos”, para chegar a ser sem cabimento, precisaria ter ao menos acontecido em algum momento. Mas é apenas um delírio que, sinceramente, não faço a menor ideia de onde vc possa ter tirado.

      A parte final do seu comentário fi respondida no item 3. Agora, achar que colocar o Montoya ou o Dakson no lugar do Bastos não mudará em nada a defesa vascaína só me faz pensar que, olhando o que sugerem por aí, até que o Adilson não é tão mal assim…

      • David

        Essa é sua opinião e não a minha realmente.
        Ter um jogador em campo que marca mal e realmente não sabe jogar bem só porque ele minimamente marca algo não me serve de resposta ou de motivo para manter ele em campo.
        Sim prefiro um jogador que tenha mais visão de jogo e que possa ajudar no ataque, já que o defendido do Bastos não ajuda nem na defesa e é uma droga no ataque.
        Também não vejo motivo algum para defender ele por ter acertado alguns passes, quando isso é sua função e obrigação! Se para você é suficiente para mim não é!
        Em momento algum deixe claro ou disse que o time teria que jogar com três atacantes. Mostre onde disse ou escrevi isso! Não vai conseguir. Disse que queria outro jogador no meio de campo.
        Quanto ao fato do time jogar com três atacantes é uma escolha do treineiro do Adilson que sempre escala mal e quase sempre no segundo tempo coloca três volantes. Bem, se o time joga no segundo tempo com três volantes como ele fez várias vezes, por que não jogar com dois meia?! Você não entendeu isso ainda?! Pois já foi mostrado que o time com três atacantes não é um bom esquema tático para jogar, assim como não seria bom jogar com três zagueiros.
        O que falta no time é criação e isso o bastos não sabe fazer e pronto! Você acha que ele sabe?

      • JC Barbosa

        Pra encerrar:

        1) Todos esses comentários só acontecem pq, na sua opinião, o Bastos é um lixo. Ok, nisso todos podem concordar. Mas, desculpe, por mais que vc tente argumentar, não há a menor lógica em preferir “um jogador que tenha mais visão de jogo e que possa ajudar no ataque” no lugar de um outro que executa uma função completamente diferente.

        2) Pra vc, o Bastos não ajuda nada na defesa. Ainda que isso fosse 100% verdade (e não é), é insanidade querer colocar Dakson ou Montoya no lugar do Bastos, já que o combate não é a única função de um defensor, mas seu posicionamento e ocupação de espaços também contam. E isso, nenhum dos dois sabe fazer pq não é o papel deles.

        3) bom, se vc não quer um time com três atacantes e acha que o esquema do Adilson é ruim, aí é que toda a sua argumentação perde completamente o sentido. Se vc quer outro meia no time e menos um atacante, quem deveria sair seria um atacante. Ou não?

        4) Se vc não concorda com o item acima, explica aí pra gente como seria montado o seu time. Se vc quer um time sem o Bastos e com dois armadores e dois atacantes, vc recuaria um dos atacantes para o meio? E deixaria o time apenas com um volante? É isso?

        5) o esquema que já foi mostrado que não é bom para jogar é o mesmo que não foi campeão estadual por conta dos erros de arbitragem? Ou vc está falando de outro?

  3. Ulisses Pinheiro

    Pois é, parece que o Bernardo vai mesmo para o Palmeiras. Na verdade faz tempo que o cara não joga de forma satisfatória com a camisa do Vasco. Neste sentido o Barbio já devia ter ido, quer dizer não devia nem ter voltado do Bahia, o cara é muito ruim. Enquanto isso apostas estão sendo feitas, a mais nova o ex-cunhado do Neymar…melhor predicado do cara…

  4. paulo eduardo

    JC? Sarcástico? HAHAHAHA!!! Tolinhos…. Os caras descobriram!!!

  5. Luiz Afonso

    Cara, posso até não concordar, mas você tem umas tiradas muito divertidas quando adota o humor sarcástico: “… Sem falar que o Bastos erra mais passes que o Montoya pelo simples fato de que o segundo não dá passes.”
    Abraço

    • JC Barbosa

      Considerarei isso um elogio….:)

    • David

      Poderia dizer uma verdade simples. O Bastos erra mais passes que Montoya por atuar em mais jogos ou por que ele simplesmente é horrível??
      A resposta ideal seria ambas as coisas!
      Utilizar de sarcasmo para tentar justificar a permanência do Bastos em campo chega a ser ridículo!
      Da próxima tente algo mais honesto!

      • JC Barbosa

        Primeiro: um pouco mais de senso de humor cairia bem. E calma ao interpretar o que lê: não justifiquei nada com a minha resposta, até pq não escalo o time para ter essa função.

        Segundo: não vejo o menor sentido em pedir a saída do Bastos e citar Montoya ou Dakson. Os três têm funções diferentes no time e nenhum substituiria o outro (Montoya e Dakson, sim, mas não no esquema preferido do Adilson). O fato do Bastos ser ou não ruim não justifica sua troca por alguém que não cumprirá sua função. Isso é o mesmo que pedir a saída do Diogo Silva pq é ruim e colocar Dakson ou Montoya no seu lugar.

      • Luiz Afonso

        Pô David, acho que você não entendeu o espirito da coisa e levou para o lado pessoal. O sarcasmo a que me referi no caso do JC, foi a um tipo de estilo literário que deixa os textos leves, divertidos, mas longe de serem ofensivos. Ele age da mesma forma quando comenta a atuação do Martin Silva. O intuito me parece ser de descontrair, que muito me agrada, sem ser incoerente. No GE.com era praticamente uma marca registrada! Uma das causas, inclusive, que me fez migrar para cá, além claro do conhecimento que ele tem do Vasco e principalmente dos bons textos.

        No caso específico, vi apenas uma maneira bem humorada dele dizer que a comparação em relação a quantidade de erros de passes entre o Montoya e o Bastos é complicada, pelo simples fato que o Montoya é muito individualista. Logo, faz menos passes, erra menos… Não dá para compará-los com base nesse único fundamento, como você fez, pois as estatísticas serão falsas!

        Olha quantas linhas eu desperdicei para dizer o mesmo que o JC, que usou apenas uma frase, com humor. Eu considero isso talento, um dom para a escrita. Saber sintetizar com coerência. Bom, deixa eu parar de bajular o JC, porque daqui a pouco é capaz de estranharem…rs ! Sou VASCO, não sou tricolor!

        No mais o JC bem explicou, são funções muito diferentes.

        Ao contrário do JC, eu não acho o Montoya tão individualista assim e me agradaria vê-lo mais vezes jogando como um atacante pela direita! Ele é um bom jogador e tem habilidade para arriscar “algumas” jogadas individuais para surpreender. Acontece que muitos acham que ele sempre prioriza as jogadas individuais. Jogando no meio, em lugar do Bastos, ele não me empolga. Até concordo que ele merecia mais oportunidades, afinal tantas são dadas para o Bastos, né? Porém, não na função do FB.

        O Dakson também merecia mais oportunidades, mas também volta-se ao dilema das funções, como o JC já explicou. Eu já acho que muito depende das características de cada time adversário. O que pode ser bom contra alguns, pode não prevalecer em relação a outros.

        Quanto ao Felipe Bastos, repito que ele é um bom nome para compor o elenco, ainda que eu também muitas vezes me irrite com ele. Tem muitos defeitos, sim, mas também tem suas qualidades.

        Vale ressaltar a chegada bem vinda de novos nomes.

        Saudações JC (agora acho que já dá para considerar um elogio…rs)

        P.S.: escrevi porque achei que eu tinha gerado o mal entendido com o David, quando citei “humor sarcástico”

        Abraço

      • JC Barbosa

        Nem vou agradecer os elogios, pois os achei exagerados e meio improcedentes (ah, a modéstia!). Mas falando um pouco sobre o Montoya, acho que o problema é justamente ele entrar como terceiro atacante no esquema do Adilson. O esquema depende que o gringo volte marcando o lateral e essa não é a praia dele. Ele pouco o faz – o que atrapalha o sistema defensivo, que precisa de alguém que cumpra essa função – e quando vem marcando, faz mal e comete muitas faltas. Sem falar que essa preocupação defensiva atrapalha seu ímpeto ofensivo as vezes.

        Melhor que testar o Montoya mais uma vez como terceiro atacante, melhor deixar o Yago, que nas poucas vezes que atuou, se saiu melhor na função que o colombiano.

      • Luiz Afonso

        David, só para completar:

        Humor sarcástico foi usado apenas como referência ao modo de jogar do Montoya – não passa a bola.

        Confesso que não entendi você ter ficado tão bolado.

        Saudações

  6. JACIEL - RJ

    Sem falar que o Bastos erra mais passes que o Montoya pelo simples fato de que o segundo não dá passes.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk me acabei de rir kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  7. David

    Como você mesmo disse JC, as raras vezes que isso acontece!
    Quando na realidade deveriam ser raros os erros de passes do jogador!
    Ainda assim o fato dele ter acertado passes (que é obrigação) não é motivo para a manutenção dele no time titular.
    Para fazer a função que ele desempenha mal poderia o Adilson dar mais chances ao Dakson ou Montoya.

    • JC Barbosa

      Nenhum dos dois citados cumpre a mesma função do Bastos, né? Sem falar que o Bastos erra mais passes que o Montoya pelo simples fato de que o segundo não dá passes.

      • David

        Como eu disse acima JC, melhor colocar um jogador que possa fazer algo em campo e que ainda não teve chances de atuar nem em sua posição de origem que é o caso do Montoya e nem com uma sequência de jogos que é o caso do Dakson, do que deixar Bastos em campo sem fazer nada de efetivo. Simples assim!
        NADA JUSTIFICA MANTER BASTOS EM CAMPO E MUITO MENOS COMO TITULAR.
        E prefiro Dakson tentado armar jogadas e tentando dar passes em profundidade, atuando como outro meia de ligação, ou Montoya atuando como meia atacante (coisa que Adilson nunca deixou ele fazer) e o fato dele não passar a bola é simples, ele se destacou prendendo bola e atuando centralizado mesmo, partindo para o jogo individual, o rapaz perdeu um gol, num passe do Thalles, onde ele driblou para o lado mais fácil que foi para direita, mas ele não consegue chutar de direita. Uma deficiência que precisa ser reparada. Mesmo assim prefiro qualquer dos dois a ver Bastos em campo.

  8. ANTONIO DIAS - CAMPINAS - SP

    Alô JC. Cara, vi muita gente criticando a transmissão do jogo do Vasco pela Rede TV. Principalmente naquele seu antigo blog do GE. a maioria reclamando que o locutor, Sílvio Luiz, não sabia os nomes dos jogadores do Vasco. Eu vou assistir todos os jogos do Vasco pela Rede TV. Primeiro prque o Sílvio Luiz é um cara muito engraçado; depois porque a Rede TV vai transmitir todos os jogos do Vasco para o Brasil todo. Olha que beleza. Não é como a Globo que passa apenas para alguns estados e só de vez em quando. O premiere também abriu o sinal, mas foi só neste fim de semana. Mesmo com uma imagem melhor no premiere do que na Rede TV, eu vi todo o jogo por esta emissora. Temos que prestigiar quem nos pretigia. Vamos todos assistir aos jogos do Vasco pela Rede TV, claro que é quando não der para ir ao estádio ver ao vivo.
    Abraços a todos.

    • Leonardo - Floripa

      Cara, muito bom ler o seu comentário. Não sabia que Rede TV estava transmitindo os jogos do Vasco.
      Sou assinante Premiere há anos, mas tem alguns sábados que preciso trabalhar. Acontece que tenho acesso a uma TV que pega a Rede TV nesses dias…. Ou seja, vai ser possível dar umas espiadas nos jogos do Vasco durante a Série B, mesmo quando eu não estiver em casa….
      Valeu mesmo pela dica….

  9. Leonardo - Floripa

    Fala JC….
    Assim como acontecia no seu ex-blog no Globoesporte, leio rigorosamente todos os seus posts, apesar de raramente comentar algo…
    Mas foi bom ter te achado novamente…. Seu posts continuam muito bons…
    Sobre o jogo, sua análise foi perfeita. Começo a achar que vamos encontrar a solução para tantos problemas financeiros em nossa base. Jogadores como Luan, Thalles, Marquinhos, Yago, Henrique, Lorran, entre outros, além de se identificarem com o Vasco, podem trazer lucro no futuro. Pena que o Danilo foi vendido tão cedo, mas com o caos do ano passado para pagar os salários, acabou sendo a solução. Acho que no futuro ele valerá bem mais, mas o Vasco mesmo assim ganhou um bom dinheiro com ele (foram 13 milhões de reais…).
    O Roberto Dinamite tem milhões de defeitos como presidente, mas com ele, a base voltou a nos dar bons jogadores, o que não acontecia há tempos. Antes do Phillipe Coutinho, Alan Kardec e Alex Teixeira, o Vasco não revelava ninguém que preste há muito tempo….
    Abraços…

  10. alexandre domingos

    A 1a. Vitória de muitas !!!

  11. David

    Boa tarde JC e demais torcedores!

    Mais um bom post JC! Avaliações dos jogadores muito boas.
    Tenho que discordar quanto ao Bastos, pois acertar passos e o mínimo que se espera de um profissional. Mesmo assim ele continua a fazer raiva! Marca muito mal e criar jogada efetivamente… bem isso não acontece.
    Avaliar o Dakson é complicado, pois entrou no fim do jogo com a partida já decidida e não teve tempo de mostrar serviço.
    Danilo foi bem no primeiro tempo, aí o Adilson acha por bem colocar o garoto para fazer o papel de primeiro volante para ninguém ver a incapacidade de Bastos em ser efetivo no jogo, ao trocar os jogadores de função, mesmo assim o garoto foi melhor que o dançarino de rumba!
    Para que Barbio entrou??? Ninguém merece aquela ameba em campo!!! Poderia ter colocado o Montoya centralizado e assim não precisaríamos ver Bastos em campo. Sem falar que jogando com quatro homens no meio o time conseguiu mais controle do jogo.
    É incrível a quantidade de vezes que o Atlético-GO inverteu jogadas em cima do Bastos e sempre colocando a bola mas costas do Marlon. Sorte o time não ter levado mais gols. Apesar de fazer dois gols Marlon foi muito fraco na defesa de sua lateral. Pelo menos Danilo e Aranda conseguiram conter a maioria dos avanços pela esquerda da defesa vascaína!

    Abraços a todos!
    Vasco Sempre!

    • JC Barbosa

      Os passes que o Bastos acertou e que foram citados não foram passes laterais, mas bons passes para as subidas do Yago. Um exemplo mostra muito bem pq Bastos mereceu o elogio: Douglas acertou menos passes desse tipo que o volante e essa é a função do camisa 10.

      Não gosto do Bastos, mas não é por isso que se deve ignorar as raras vezes em que ele acerta.

  12. JACIEL - RJ

    Uma coisa é certa… Jogar sem torcida é foda!! e ainda temos mais um jogo pra cumprir… Mas enquanto isso a torcida mulamba continua livre ,leve e solta… Cadê vc STJD???
    Quando essa punição absurda terminar, acho que nossa diretoria deveria fazer igual aos tricoletes, bolar uma baita promoção nos preços dos ingressos e assim ter SJ com sua capacidade total preenchida novamente, faz tempo que isso não rola em nossa casa. No mais, antes da copa já estaremos liderando , podem anotar.
    Abs JC e demais Vascaínos!

  13. Luiz Afonso

    Boa análise do jogo.

    Também gostei muito dessa: “Martin Silva – sua presença em campo poderia até trazer uma punição ao clube, já que o jogo não poderia ter torcida e nosso goleiro não foi mais que um espectador em campo.”

    Ainda bem que o florminense não está na serie B, porque com certeza ele iria entrar com recurso contra a presença do “torcedor” Martin Silva…

    Abraço

  14. Fala meu vascaíno!
    Só queria fazer uma observação. Que ao falar das Atuações dos jogadores do jogo de ontem vc esqueceu de mencionar uma peça que entrou muito bem ontem, apesar de suas ultimas atuações terem sido um pouco aquém do que o mesmo pode apresentar. Aranda, ontem ao substituir Marquinhos, deu maior consistência ao meio campo, dando assistência ao gol de marlon e acertando um balaço no travessão. Saudações vascaínas!

  15. Fala camarada, o vídeo que tá no post é de um jogo em 2009, não do de ontem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s