Virada mequetrefe

Não fossem os gols do Thalles e a atuação da garotada na partida de ida na Copa do Brasil contra o Treze-PB, não haveria nada que prestasse para se falar do jogo. Mesmo com a virada no placar, algo que está no DNA do clube e que ainda assim tem sido cada vez mais raro de se ver, não há muito o que se elogiar sobre o Vasco ontem.

No primeiro tempo, vimos novamente o Vasco com mais posse de bola, mas errando muitos passes e tendo uma ineficiência incrível na frente. Com Douglas mais uma vez apagado e Reginaldo e Montoya igualmente mal, criamos muito pouco – tanto que o Danilo foi quem mais finalizou na equipe – e ainda sofremos com os contra-ataques do rápido time paraibano. E aos 19 os donos da casa abriram o placar, numa jogada de linha de fundo em que Luan não conseguiu evitar o cruzamento e o atacante do Treze entrou livre pra concluir para as redes.

Adilson também repetiu as alterações que fez no jogo contra o Luverdense, tirando Reginaldo e Montoya, ainda no intervalo. E os moleques Marquinhos e Yago mudaram a cara da partida, deixando o time mais veloz e finalmente com alguma força ofensiva pelos lados do campo. A melhora do time foi comprovada rapidamente, com o primeiro gol de Thalles, logo aos 5 minutos da etapa final.

Mas não melhoramos o suficiente para criarmos muitas oportunidades de gol. A partida acabou ficando morna, com o Treze aparentemente satisfeito com o empate e a oportunidade de conseguir uma viagenzinha para o Rio. Se foi ruim ver que a maioria dos lances mais perigosos do Vasco nasceram em bolas paradas, pelo menos não vimos no segundo tempo o alvinegro ameaçar tanto nos contragolpes. E quando parecia que os dois lados estavam esperando o apito final, Thalles resolve a partida, dando números finais ao placar em mais uma cabeçada mortal, quase nos acréscimos.

Vencemos, mas estivemos longe de conseguir eliminar o jogo da volta, principal objetivo de qualquer time grande nessas fases iniciais da Copa do Brasil. Como a partida foi antecipada para a próxima quarta-feira, o magro 2 a 1 nos fará ter uma minimaratona nos próximos dias, com jogos no dia 3 (Atl-GO), 7 (Treze-PB) e 10 de maio (Oeste). Pensando pelo lado físico, ficou pior para o time; mas olhando o lado técnico, é de se pensar se a equipe não está mesmo precisando jogar mais para ver se melhora um pouco.

***

As atuações….

Diogo Silva – sem culpa no gol, mas a insegurança de sempre.

André Rocha – o pior de dois mundos: nulo no apoio e fraco na cobertura.

Luan – não conseguiu impedir o cruzamento no gol do Treze, mas fora isso, não teve muito trabalho.

Douglas Silva – pegou uma molezinha na sua estreia na zaga, e ainda assim não conseguiu evitar a finalização que rendeu o gol ao adversário. Quase marcou de cabeça no primeiro tempo.

Diego Renan – se for pra comparar com o Reginaldo, parece que ele é o atacante pela esquerda. Mas essa ofensividade acaba fazendo com que ele se descuide da cobertura (foi pela sua lateral que saiu o gol adversário). Errou mais passes do que de costume.

Fellipe Bastos – ter um jogador que apenas se esforça em campo é muito menos do que o Vasco merece.

Danilo – boa partida, marcando bem e ainda aparecendo na frente com frequência quando o espaço aparecia. Precisa melhorar na pontaria para que suas várias finalizações sejam mais úteis.

Douglas – mesmo aparentando ter seu prazo de validade prestes a acabar, apareceu bem nas bolas paradas. Acertou bom cruzamento para seu xará quase marcar, bateu uma falta que exigiu grande defesa do goleiro adversário e cobrou o escanteio que originou o segundo gol do Thalles.

Montoya – ontem não conseguiu nem ser o fominha de sempre. Yago entrou no seu lugar e com velocidade e mais coletividade, melhorou o ataque vascaíno.

Reginaldo – mais uma partida sem fazer qualquer coisa de relevante. Saiu no intervalo e Marquinhos precisou de apenas 5 minutos para mostrar maior efetividade, fazendo a jogada que originou o gol de empate do Vasco.

Thalles – não teve muito o que fazer no primeiro tempo, mas mostrou seu poder de decisão marcando dois gols quando recebeu mais bolas em condições de marcar.

 ***

E no final do seu mandato, Roberto Dinamite pode acabar sendo afastado do cargo por não cumprir um artigo da Lei Pelé: o clube deveria ter publicado o balanço de 2013 até ontem e não o fez (o que seria um milagre se conseguisse, já que nem as contas de 2012 foram aprovadas ainda).

Das ironias da vida: pode ser que o governo acabe fazendo o que o próprio clube deveria ter feito há um bom tempo já.

***

Lembrem-se de curtir a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e seguir o Blog da Fuzarca pelo twitter @jc_CRVG.

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em Atuações, Notícias, Resenhas, Vídeos

12 Respostas para “Virada mequetrefe

  1. David

    Boa Tarde JC e demais torcedores!

    O jogo foi muito ruim, só se salvou a vitória contra o fraco Treze. Deu até calos nos olhos.
    O time não tinha proposta de jogo, esquema tático???
    Parece que não! Pareciam um bando em campo!
    Diogo Silva, Douglas Silva, André Rocha, Felipe Bastos, Reginaldo, não são jogadores para vestir a camisa do Vasco! Alguns são ruins e os outros piores.
    Douglas estava realmente em campo? Porque não o vi fazer nada além de cobrar algumas faltas.
    Montoya mais uma vez escalado como ponta direita… Adilson está pensando o quê?? Que ele é algum Robben??
    O Montoya se destacou jogando centralizado no campeonato argentino, fazendo o papel de meia atacante e todo técnico inventa de colocar ele escalado na posição errada.
    Diego Renan parecia um atacante, esquecendo de marcar sua lateral, mas não foi pela esquerda que saiu o gol e sim de uma jogada pela lateral direita onde o André nada fez deixando o Luan no combate sozinho e o Esquerdinha que fez o gol não foi acompanhado pelo Felipe Bastos que só ficou dando pulinhos dentro da área. Será que o Bastos acha que pular em campo vai impedir da bola entrar no gol?
    Adilson já mostrou que deu um padrão de jogo para o time titular, mas é muito pouco para quem já está no comando do time desde novembro. Parece que o time reserva treina separado pois os caras não fazem nada em campo.
    A garotada salvou o Vasco de um vexame, mas isso pode não se repetir sempre, por isso é melhor trocar o técnico antes que o time passe mais vergonha na segunda divisão. Não quero ter a mesma história do florminense que caiu para a terceira.

  2. Mequetrefe, mesmo!
    Ainda tem ufanismo por aí pirando o cabeção e soltando umas do tipo: “os meninos da colina!!!”. Pelas minhas contas o Vasco terminou com cinco da base em campo e foi com eles que o jogo virou. Mas tem que ter muita calma nessas horas. A rapaziada é novinha e colocar eles no céu pode, o que não é difícil, atrapalhar mais do que ajudá-los – e assim piorar mais ainda as coisas para o Vasco. O exemplo para mim é o Thalles. Bastou o garoto virar capa de jornal por duas vezes para achar que já era Romário. Daí as atuações ridículas vieram na sequência até o segundo tempo com o Treze, em que ele resolveu simplificar e jogar dentro do que ele pode. Assim fez os gols, cumpriu seu papel e ganha meus aplausos.

    Agora, o mequetrefe da virada, fora o que o JC já disse, para mim ainda fica por conta de termos que ainda ver um Treze da vida se arrogar ao ponto de achar que “deixou” o Vasco gostar do jogo e “permitir” a virada. Pelo amor de Deus.

    No mais, acho que o Vasco tem condições de ter um goleiro reserva menos péssimo do que o Diogo.

    No mais é torcer para que a garotada vingue e que o Vasco já tenha tomado as devidas providências para que em caso de sucesso eles vazem e nos deixem chupando o dedo. Parece que o Danilo já tá de saída… Gosto do Marquinhos, tem um tipo que me lembra muito Bernard ex-Galo. Montoya me irrita.

    Reginaldo: será que a torcida do Vasco já olhou com mais vagar por onde esse sujeito jogou e os seus números como atacante??? Antes de vir para o Vasco ele defendia um time da segunda divisão do Japão (não fez gol em 10 jogos); tem 359 jogos na carreira e fez 52 gols. Isso é atacante para o Vasco????

    • JC Barbosa

      O problema do Reginaldo é que ele é o típico “jogador tático”. Joga no ataque, mas não é de fazer tantos gols. Por isso mesmo não sei se a média de gols é o critério mais indicado para avaliá-lo. Eder Luis era bem parecido e sua média de gols não é tão maior que a do Reginaldo; ainda assim, qual era o vascaíno que não estava satisfeito com seu desempenho entre 2010 e 2012?

      De qualquer forma, acho que a página da Wikipedia onde vc pegou os números do Reginaldo não está muito precisa. A página dele na Wikipedia italiana tem números um pouco diferentes (com mais gols e menos jogos). Ainda assim, é fato que ele não vem jogando nada e não há argumentos que sustentem sua titularidade.

      • Pois então, com wikipédias à parte, não se sustenta – até porque não iremos lá no site da FIFA, ou sei lá onde, e ver se por lá existe algo para saber tim-tim por tim-tim desse tal Reginaldo. Agora, se a função seria tática, como no caso do Éder, que ele tivesse condições de cumpri-la. De qualquer forma, além dos números que agrava o problema, é a carreira do sujeito que não dá para aceitar – aí os wikis são os mesmos. Maioria de times peba, salva a Fiorentina e o Parma que mesmo assim já fazem algum tempo que não emplacam. Não dá para aceitar esse tipo de jogador comprando a conversa fiada de “vitrine”. Ao ler as matérias de hoje então, fica mais claro ainda que é papo do Caetano.

        De toda forma, pensando melhor, é preciso ir no site da FIFA ver se há números desse tipo…

        Vou ser franco, esse marketing pessoal do Caetano no Vasco não me agrada.

  3. SNIPER

    Reginaldo e Montoya já deram o que tinham que dar. Só pela vontade demonstrada, Marquinhos e Yago merecem começar a partida de amanhã como titulares, já que os recém contratados não poderão estrear.

  4. vinicius leal

    J c. Saindo um pouco do assunto do jogo.
    O que vc ta sabendo a respeito do fornecedor de material esportivo ?

  5. alex

    Seria a cereja no bolo da administração Dinamite: ser afastado por não publicar o balanço.

  6. Luiz Afonso

    Ao contrário de muitos, eu estava gostando do Montoya. Claro que ele pode melhorar, soltando um pouco mais a bola. O problema que poucos o acompanham, sendo um destes poucos o Reginaldo… aí é melhor mesmo tentar a jogada individual! Gostei do Yago, mas gostaria de ver um pouco o Montoya, na atual posição, jogando desde o primeiro tempo com o Marquinhos e o Thalles! O Yago mostrou ser uma boa opção para o segundo tempo.

    Felipe Bastos reclamando da falha na marcação do gol, foi cômico! Tinha algum espelho ali na frente dele?

    O Douglas Silva e o Douglas foi mesmo o que você falou. Quando começo a reclamar do Douglas por sua lentidão, logo me calo ao perceber que é um dos poucos com qualidade diferenciada no time e, assim como o Adilson, prefiro seguir com o risco de mantê-lo em campo.

    Não achei o André Rocha tão ruim assim e a avenida que o Diego Renan deixa quando ataca é normal, afinal para que serve a cobertura? É problema do técnico destacar alguém para fazer a cobertura do Diego, que tem se mostrado uma boa opção de ataque! Mais do que o Reginaldo, como você mesmo disse! E como dizia o “filósofo” wanderley Luxemburgo: “o medo de perder não pode ser maior do que a vontade de ganhar!”

    O Thalles tem me surpreendido positivamente, embora ache que ainda tem muito a melhorar nas conclusões. Mas o fato é que ele é muito bom nas disputas e proteção da bola, e de quando em vez procura a tabela e dá um passe açucarado, coisa rara no time! Vem melhorando a cada jogo com a titularidade! Agora, tem que ter gente para acioná-lo, porque depender do Reginaldo ou Barbio não dá!

    E para finalizar: para quem reclama do Adilson, vocês viram as substituições que o Levir Culpi fez no time do Atlético-MG? Pois é, vai entender cabeça de treinador… O Adilson, ao menos, parece estar melhorando no quesito substituições… Acho que agora é só se convencer que o Reginaldo, como o Barbio, também é outro que já deu… Não vou citar o Bastos porque eu o considero um bom nome para compor o elenco, ao contrário dos outros dois.

    Saudações

  7. Fábio

    JC, comparando com o ano passado, o vasco está bem melhor. O trabalho de Adilson, é bem melhor do que o dos técnicos que passaram no ano passado. Porém, acredito que Adilson só venha ser um grande Técnico num futuro distante. Apesar de uma leve melhora, ele parece que tá iniciando. Para mim o Cristovão, mesmo com pouca experiência, é um técnico mais inteligente do que o Adilson. Resumindo pra mim Adilson será um grande técnico no futuro. Acredito que o Vasco tá precisando de um comandante que tire o melhor de cada jogador, como é o caso de Cristovão.

  8. Jonny Arruda

    O Felipe Bastos nunca foi volante que fica na frente dos zagueiros!

  9. O gol saiu pelo lado do André Rocha .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s